17 DE AGOSTO DE 2019

Assuntos pendentes – quarta parte


Amenidades
19 de julho de 2019


Caio sentia-se nas nuvens. Não via a hora de chegar em casa e contar à mãe que finalmente encontrara uma moça por quem realmente se interessara. Mesmo ele já sendo homem feito, dona Margarida insistia em esperá-lo acordada. De nada adiantavam seus apelos para que ela não fizesse isto.

Chegou em casa, feliz da vida, encontrou-a esperando-o e contou toda a história, como conhecera Helena e que no dia seguinte iria buscar o seu paletó.

A mãe ficou feliz pelo filho e no dia seguinte, ele mal terminou de almoçar e seguiu para a casa da moça. Lá chegando, tocou a sineta que ficava na porta, e uma senhora com traços ainda jovens, mas muito envelhecida, veio abrir. Pela semelhança, ele logo percebeu tratar-se da mãe de Helena.

Educadamente, perguntou:

- Boa tarde. A Helena está?

A mulher ficou lívida e cambaleou, como se fosse desmaiar. Teria caído, se Caio não a tivesse amparado.

Sem pensar, entrou com ela quase carregada casa a dentro, a procura de um lugar onde pudesse colocá-la.

- O que foi, minha senhora? Está passando mal? Seu marido está em casa? E Helena? Posso ajudar?

A mulher começou a chorar convulsivamente e um senhor também com aparência de grande sofrimento apareceu na sala

- O que está acontecendo aqui? Querida, o que houve? Por que está chorando? Quem é este rapaz?

Assustado e sem nada entender, Caio apressou-se a explicar a situação.

- Meu senhor, o meu nome é Caio. Conheci sua filha Helena ontem no baile e a trouxe até em casa. Como estava garoando forte, deixei o meu paletó com ela e ela me disse que viesse buscá-lo hoje. Por favor, chame-a que ela pode confirmar tudo.

Para espanto do rapaz, a reação do senhor não foi diferente da esposa. Ficou branco como cera e assentou-se em uma cadeira, com o rosto entre as mãos. Caio não conseguia entender. O que estava acontecendo? Sentiu vontade de se assentar também, mas não seria educado, sem o convite dos donos da casa. Chorando, a mulher falou para ele:

- Que brincadeira de mau gosto é essa, rapaz? Por que está fazendo isso conosco? Vir em nossa casa com esta história mentirosa. Não respeita o nosso sofrimento?

Antes que ele tivesse tempo de responder, o senhor levantou-se e abraçou a esposa. Dirigiu-se a ele:

- Não se preocupe, senhor Caio. Eu sou Vicente, pai de Helena e acredito em você. Por favor, sente-se aqui e aguarde um instante. Já volto.

(Continua na próxima edição)

Veja mais


Amenidades
16 de ago de 2019
Esperança em câmera lenta...

Amenidades
09 de ago de 2019
A lenda da Loucura e do Amor...
















QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES? CLIQUE E CADASTRE O SEU EMAIL, PROMETEMOS NÃO ENVIAR SPAM!
ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
   

PARCEIROS