10 DE DEZEMBRO DE 2019

Moradores do Morada Viva pedem melhorias na estrutura do conjunto habitacional


Itabirito
19 de julho de 2019


Moradores do conjunto habitacional Morada Viva, de Itabirito, compareceram em peso para reunião da Câmara na segunda-feira (15) para buscar apoio dos vereadores nas soluções dos problemas estruturais do condomínio. Eles relatam que há várias trincas em lajes e paredes e infiltrações, que a situação se agrava, principalmente quando chove. Um pedido mais urgente dos moradores é com relação ao hidrômetro, eles querem que cada apartamento tenha o seu para que o pagamento da conta seja justo.

Os representantes dos moradores não puderam usar a Tribuna livre, mas conversaram com a reportagem do jornal O Liberal para falar dos problemas enfrentamos pela comunidade. “Quando chove os moradores do último andar sofrem com as telhas e molha o apartamento. Já os do térreo, sofrem com alagamentos, é muito problema estrutural que enfrentamos lá”, conta Patrícia Aparecida Ferreira.

Com relação aos hidrômetros, os moradores pedem que cada apartamento tenha o seu. “É um absurdo o valor que pagamos de água. Infelizmente o hidrômetro é por prédio, e a conta é dividida entre os moradores. Se um ficar sem pagar, a gente fica sem água, ou temos que inteirar para pagar o restante”, explica Eliert Verb Alves.

De acordo com o diretor do Serviço Autônomo de Saneamento Básico (SAAE) Itabirito, Wagner Melillo, para instalar o hidrômetro em cada apartamento é preciso que seja reestrutura toda tubulação, para que tenha saídas de água individuais. “Realizado esse processo, é só fazer o pedido no SAAE, que instamos o hidrômetro. O problema é que preciso mexer em toda estrutura para isso”, esclarece o diretor.

Já o secretário de Obras e Serviços do Município, Alexandre Mesquita, destacou que é comum um hidrômetro por prédio em condomínios, principalmente por causa da estrutura.

Lei do hidrômetro

De acordo com a Lei 13.312, que altera legislação específica sobre saneamento básico, “as novas edificações condominiais terão de incluir em suas construções hidrômetros capazes de medir individualmente o consumo hídrico”. O texto original foi alterado, pois estendia a obrigatoriedade para os prédios antigos. Porém, como a implantação implica custo elevado para os condomínios, a exigência foi revogada.

Álbum de Fotos

Veja mais

















QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES? CLIQUE E CADASTRE O SEU EMAIL, PROMETEMOS NÃO ENVIAR SPAM!
ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
   

PARCEIROS