17 DE AGOSTO DE 2019

Mariana comemora 323 anos com repasse de R$100 milhões pela Fundação Renova


Mariana
19 de julho de 2019
Crédito Pedro Ferreira

Por Michelle Borges

Dia de Minas foi marcado por assinaturas de termos entre governo de Minas, Fundação Renova e prefeitura

Mariana completou 323 anos no dia 16 de julho. Como acontece tradicionalmente, a cidade, simbolicamente, foi transferida como a capital do Estado com a cerimônia do Dia de Minas. Diferente dos anos anteriores, nesta edição a organização foi da Prefeitura de Mariana, já que o Estado disse que não poderia realizar a cerimônia devido à crise financeira que o governo atravessa. Durante a solenidade, que agracia personalidades de todo o país, foram assinados termos entre governo de Minas, Fundação Renova e prefeitura.

Uma novidade neste ano foi a participação da Fundação Renova, que tem sido muito criticada pela morosidade nas ações de recuperação dos municípios atingidos pela barragem de Fundão, em 2015.  Na solenidade, o diretor presidente da instituição, Roberto Waack, anunciou o repasse de R$100 milhões à Mariana, que serão destinados à reforma da Praça Gomes Freire, a reativação da cooperativa de laticínios e ações para o turismo.

Em seu discurso, o prefeito de Mariana, Duarte Júnior, destacou os impactos negativos que a cidade sofre até hoje com a tragédia de Fundão e também da necessidade do apoio do Governo do Estado para reerguer o município. “Mariana ficou conhecida mundialmente por um dos maiores desastres ambientais do mundo. Quase quatro anos se passaram e o que mudou na vida do povo dessa terra? Mariana merece ser contemplada, ainda que com um pequeno percentual do valor recolhido pelos cofres do nosso estado. As imagens da tragédia, senhor governador, ganharam o mundo, mas nós confiamos no seu senso de justiça”, ressaltou Duarte.

Mesmo não tendo realizado a edição deste ano, o governador Romeu Zema compareceu à cerimônia e destacou que Mariana vai ser prioridade em seu governo. “Estou aqui hoje para dizer que estamos unidos para tornar essa cidade prioridade de Estado. As vozes de vocês são as vozes de Minas e serão ouvidas. Vamos reconstruir o nosso patrimônio. Quero que todas as pessoas atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão sejam justamente indenizadas. Sei que não há recurso que valha o que perderam, mas sempre há tempo e espaço para o ressarcimento. Também aguardo a rápida compensação aos municípios afetados”, garantiu Zema.

Durante a cerimônia, o governador assinou um decreto que institui o Comitê Gestor do Rio Doce para garantir agilidade nas tomadas de decisões e apresentar soluções rápidas de reparação e compensação às cidades afetadas pelo rompimento da Barragem de Fundão.

Nesta edição, o evento agraciou 31 personalidades que se destacaram com contribuições para o município, o estado e o país. Entre elas, cinco são de Mariana: o fotógrafo Eustáquio de Souza; o empresário José Eustáquio, o Tati do Posto; a desembargadora do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Mônica Líbano Rocha Bretas; e os vereadores Leitão, presidente da Câmara e o vereador Admar José Cota.

R$ 100 milhões à Mariana

O repasse de R$ 100 milhões da Fundação Renova à Mariana, é um pacote de novas ações destinado a reparação do município. O repasse, segundo o diretor presidente da instituição, transcende o escopo reparatório e vai beneficiar diretamente à população. Entre as ações, a verba será destinada à diversificação econômica, infraestrutura e desenvolvimento sustentável nas seguintes áreas: revitalização da praça Gomes Freire, o Jardim; aportes para incentivar o turismo; reativação e fortalecimento da cooperativa de laticínios; implementação da Casa do Empreendedor; aquisição da infraestrutura e assessoria técnica para elaborar o georreferenciamento e o Plano Diretor de Mariana; construção do Aterro Sanitário de Mariana, cujas obras já estão em andamento, com previsão de entrega em 18 meses; e ampliação do Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSij), a previsão é que seja entregue no primeiro semestre de 2020.

Além dessas ações, a Fundação Renova e a Prefeitura de Mariana também pretendem avançar em outros dois pontos: iniciar os estudos para viabilizar o Distrito Industrial de Mariana, peça importante na pauta da diversificação econômica, e o loteamento Cristo Rei, que permitirá à prefeitura ampliar novos programas de moradia popular. “É importante ressaltar que todas essas iniciativas adicionais serão realizadas sem alterar as ações já compromissadas e em andamento no município. Somente no campo da infraestrutura, como o reassentamento e as demais obras, estão previstos valores da ordem de R$ 600 milhões”, destacou Waack.

Com esse conjunto de ações, a Renova informou que mobilizou, até o momento, recursos da ordem de R$ 1,9 bilhão.

Mas, sobre a ocupação de moradores de Barra Longa, Acaiaca e de demais localidades atingidas, ocorrida no escritório da Fundação Renova, anexo à igreja de São Pedro dos Clérigos, em Mariana, que durou cerca de um mês, Waack não quis se pronunciar.

O grupo reivindicava reassentamento, indenizações, cartão emergencial, reconhecimento do direito dos garimpeiros e assistência aos 11 contaminados por metais pesados.

Álbum de Fotos

Veja mais

















QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES? CLIQUE E CADASTRE O SEU EMAIL, PROMETEMOS NÃO ENVIAR SPAM!
ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
   

PARCEIROS