21 DE OUTUBRO DE 2019

Duarte Jr. abre o jogo


Mariana
04 de outubro de 2019


Por Marcelo Sena

Prefeito de Mariana comenta Operação Curupira, relação com a Fundação Renova, tarifa de água e eleições 2020

Na última segunda-feira (30/09) o prefeito de Mariana, Duarte Jr., concedeu uma entrevista exclusiva ao jornal O Liberal e falou sobre os principais desafios à frente do Executivo Municipal. O prefeito esclareceu o afastamento do Secretário de Meio Ambiente em razão da Operação Curupira, além de comentar a relação atual da prefeitura com a Fundação Renova e a cobrança da tarifa de serviços referentes à distribuição de água na cidade. Duarte Jr. falou ainda sobre as expectativas para as próximas eleições municipais, que ocorrerão em 2020.

Perguntado sobre a Operação Curupira da Polícia Civil, que apura a suspeita de “fraudes em licenciamentos ambientais” em Mariana e outros municípios, Duarte Jr. afirmou que o afastamento do Secretário Municipal de Meio Ambiente, Rodrigo Carneiro, tem o objetivo de garantir a transparência e a lisura das investigações.

“Não existe nenhum indício ainda, mas estamos em busca da transparência do processo. O Rodrigo [Carneiro, sec. afastado de Meio Ambiente] ocupa o cargo mais alto dentro da secretaria. Como analisar um processo, se ele poderia influenciar, mesmo que de forma indireta? Então, a Comissão de Sindicância achou por bem, eu concordei com a comissão e vou dar todas as condições para que façam o melhor trabalho possível”, explicou o prefeito.

Duarte Jr. informou, ainda, que a prefeitura “não tem compromisso com erros” e apresentou uma falha por parte do secretário. “O secretário emitiu duas licenças, uma incompleta e outra que completa a primeira. Só que ele manteve no processo a licença incompleta. Assim, ele mesmo pegou todo o processo e entregou à Polícia Civil. Ele mesmo reconhece essa falha, pois deveria ter anulado a primeira licença e não fez”.

Desde o rompimento da barragem do Fundão, em novembro de 2015, um dos maiores desafios enfrentados à frente da administração municipal refere-se à recuperação financeira da cidade de Mariana. Questionado sobre isso, o prefeito disse que a previsão é terminar o ano de 2019 acima das expectativas. “Nós assumimos o mandato em uma queda enorme de receita e eu tinha para mim que esse seria o meu carma: passar pela administração para fazer cortes. Mas as coisas mudaram um pouco esse ano: o Estado de MG voltou a repassar, estamos com possibilidade de investimentos e temos condições de fechar o ano de uma forma que talvez nas melhores receitas do poder público municipal não seria possível imaginar. Estamos finalizando um projeto executivo para uma obra de R$ 70 milhões para saneamento básico. No início do próximo mês, iniciaremos a obra de troca dos reservatórios da cidade, são mais R$ 4 milhões investidos. Temos R$ 10 milhões já garantidos para licitar a nova captação e resolver o problema de água na cidade. Estamos trabalhando fortemente para lançar um programa de moradia que nunca foi visto e que vai resolver um problema gravíssimo da cidade”, argumentou Duarte Jr.

Nesse sentido, umas das maiores fontes de recursos para o município é a Fundação Renova. Ao comentar os altos e baixos da relação entre Prefeitura e Fundação, Duarte Jr. afirmou que, atualmente, o sentimento que tem pela Renova é de “respeito e cobrança”.

“São vários os processos que passam pela Fundação Renova. Então não dá para dizer, em uma palavra, qual é o sentimento pela Fundação. Entendemos que precisamos melhorar muito nessa relação, mas andamos muito. R$25 milhões para obras de saneamento, são através da Fundação, o laticínio mais R$7 milhões através da Fundação, a revitalização do Jardim é através da Fundação. Então tem muita coisa sendo construída junto com a Fundação. Hoje temos uma relação de respeito, mas também de cobrança”.

Outro assunto abordado na entrevista foi a cobrança de tarifa de água em Mariana, amplamente debatida na Câmara Municipal de Mariana. O prefeito justificou a cobrança informando que foi notificado pela justiça para implantar a tarifa e que os recursos já estão sendo aproveitados pelo município. “Mariana é a única cidade do Brasil, acima de 10 mil habitantes, que não cobrava taxa. Uma coisa é a taxa e outra é a cobrança de água. A taxa é referente à disponibilização dos serviços, de rede e registros e quando quebra quem conserta é a prefeitura. A taxa é cobrada em Mariana hoje porque uma lei federal obriga. Eu cheguei a ser notificado pelo Ministério Público perguntando quais ações nós deveríamos tomar e se eu não tivesse feito nada, estaria respondendo a um processo hoje. No meu mandato, ninguém vai pagar água enquanto não chegar água em quantidade e qualidade suficiente para todos”.

Por fim, o prefeito comentou as expectativas para as eleições municipais que se aproximam. Sem definir o nome que o sucederá na candidatura à Prefeitura Municipal de Mariana em 2020, Duarte Jr. defendeu que a cidade precisa de um “governo de continuidade”. “Não preciso decidir sozinho quem será o próximo candidato. O importante é termos o grupo unido, pois temos ótimos nomes para lançar. As pessoas terão de decidir se, as obras que estão em andamento devem continuar ou não.

Veja mais
















QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES? CLIQUE E CADASTRE O SEU EMAIL, PROMETEMOS NÃO ENVIAR SPAM!
ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
   

PARCEIROS