16 DE DEZEMBRO DE 2018

Então tudo, um dia, no futuro, será melhor?


Carta aos Tempos
28 de setembro de 2018


*RKoeppel

Tendo estado envolvido com tecnologias diversas nos últimos 55 anos – e ainda gosto! – gostaria de abrir uma discussão sobre coisas que são maravilhosas (e objeto de artigos sensacionais, vídeos no Youtube, reportagens que mexem com todos nossos valores) vis-à-vis as mesmas coisas, que gerarão catástrofes imensas. Portanto, tenho hoje boas e más notícias. E ao final deste texto, tenho um convite para você: para que nosso mundo seja melhor! Um dia... no futuro!

O que se segue mostra um lado positivo – que talvez você já conheça. E mostra também um lado negativo. Que não parece estar sendo lembrado e que, a nosso ver, são fundamentais. Adianto um pouco para que você não fique chocado demais: qual o papel do ser humano, no mundo moderno, cheio de tecnologias fantásticas? Não espere achar nada que responda a esta pergunta. Você achará muitas perguntas.... As respostas, precisamos trabalhar junto e formaliza-las. E reconheço: sozinho, sou incompetente! Como se dizia: uma andorinha não faz verão. Mas muitas, juntas, fazem milagres. Lembre-se disto ao usar o seu voto, dentro de 20 dias!

Automóveis: talvez sejamos a última geração que tinha prazer em ter um automóvel. Dirigir um automóvel era motivo de prazer. Aqui as notícias são terríveis: com o excesso de automóveis, os engarrafamentos são infinitos. E o prazer de dirigir, além dos quebra-molas abundantes que não são motivantes, será eliminado. Vem aí os carros sem motoristas. Já andei em alguns na Alemanha: você senta no carro e diz “Quero ir para a Praça Alexandre II!”, em português. E o carro entende e lhe leva para a Alexander Platz, em Berlim. Claro que a substituição do motorista tem mil ramificações: nenhum emprego, maior segurança. Até vamos poder andar no carro, bêbados. Por isto não teremos mais empregos bolando mensagens criativas, do tipo: Se beber, não dirija! Os aviões serão mais seguros, pois não terão pilotos. Os caminhões andarão sem motoristas. E os motoristas vão fazer o quê? Claro, sempre podem votar nas eleições..._

Fotografias: Antigamente, foto era uma coisa rara. Uma câmara fotográfica era cara e um filme tinha 12 “chapas”.  Você só fotografava o que realmente queria guardar de lembrança. E tinha, depois de muitos anos, lembranças de bons momentos da sua vida. Agora, qualquer telefone celular tirar fotos excelentes, em qualquer situação. E você tira milhares de fotos por mês. Tira 500 “selfies” todo dia para se ver como é bonito e risonho. Antes isto era um defeito – Narcisismo – ficar se olhando no espelho em vez de enfrentar a vida. Hoje, Oh! Vejam como sou alegre e.... fingido! E as milhares de fotos digitais você vai esquecendo. Seis meses depois, já não sabe em que pen-drive foram gravadas. Pior, no meio de milhares de fotos, como achar aquela especial, onde sua namorada realmente aparecia ao natural?

Música: no meio de tanta notícia ruim, um pouco de beleza. Hoje, num pen-drive você pode ter 30 ou 30 mil músicas gravadas. É portátil, é grátis. Você só precisa de ter tempo para ouvi-las. Isto só depende de você ao usar os seus 86.400 segundos diários. Mas se você é músico, produzindo músicas, talvez precise ter outra atividade. Pois não vai vender tantas músicas bonitas. Tudo será copiado, de graça! Uma des-graça...

Impressoras 3D: permitem que tudo seja produzido usando materiais nobres – dentaduras, joias, peças difíceis, instrumentos sexuais, decoração de biscoito. Tudo o que se fazia com as mãos, passará a ser feito por estas impressoras. Já existem impressoras grandes – imprimem casas de 300 m2 em 20 horas! Os chineses vão fabricar estas impressoras e vender pelo mundo afora. Se você é pedreiro, cuidado! Dentro de cinco anos isto será normal. O também será normal também será você ficar em casa, desempregado...

Paremos por aqui. O que vamos fazer neste mundo que já existe hoje e que terá menos lugar para o ser humano? Os robôs irão gradativamente invadir tudo. Os robôs chineses vêm aí... Finalmente, trabalhar é fonte de prazer. De autoestima. No momento atual no Brasil, temos alguns milhões de brasileiros que não estão rindo. Estão desempregados...

Amigos, soubesse eu o que devemos fazer eu lhe contaria. Mas tenho uma dica: ou enfrentamos o tema de “educação para todos”, como se fez na Coréia do Sul há 40 anos e hoje são uma potência mundial (eram piores que o Brasil! Hoje produzem automóveis que todos invejamos) ou vamos ser consumidores de produtos chineses. E, através da educação, talvez, dentro de 40 anos seremos um bom país, onde o ser humano terá lugar adequado. Lembre-se disto nas eleições de outubro de 2018... Dentro de 10 dias! Enfrentemos os problemas que têm solução. Outros, sem solução, temos muitos... Deixemos que o Juiz Moro continue a ter emprego! E os pedreiros que constroem prisões tenham emprego também. Por enquanto...

(*) Rodolfo Koeppel mora em Glaura e gosta de conversar com o Batista, que escreve coisas muito importantes no O LIBERAL. Claro que as conversas passam por cripto-moedas, tecnologia e... bandas de música! Uma coisa emocionante, onde os robôs não terão lugar. E onde os jovens e adultos da nossa região tem momentos de cooperação e alegria! Se quiser saber mais sobre o que temos de bom na região de Ouro Preto, faça contato  Rodolfo.koeppel@gmail.com



Veja mais


Carta aos Tempos
14 de dez de 2018
Onde há acerto de Jair Bolsonaro...














QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES? CLIQUE E CADASTRE O SEU EMAIL, PROMETEMOS NÃO ENVIAR SPAM!
ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
   

PARCEIROS