20 DE JANEIRO DE 2020

Polícia Civil prende suspeito de roubo a joalheria em Ouro Preto


Ouro Preto
13 de janeiro de 2020
Crédito Michelle Borges

Por Michelle Borges

Crime aconteceu em novembro do ano passado. Um dos suspeitos continua foragido

Em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (13) a Polícia Civil divulgou que prendeu um dos suspeitos do roubo a mão armada a uma joalheria, em Ouro Preto, que ocorreu em novembro do ano passado. Familiares afirmam que ele é inocente e outro suspeito continua foragido.

De acordo com o delegado Frederico Ribeiro de Freitas Mendes, em continuidade às apurações do crime, a Polícia Civil prendeu um investigado, de 25 anos, e cumpriu três mandados de busca e apreensão no município de Sete Lagoas. O outro suspeito, que é de Ouro Preto, está foragido e as investigações prosseguem até que seja localizado.

A prisão ocorreu na quinta-feira (09) e no sábado (11) familiares estiveram em Ouro Preto para se manifestarem contra a prisão do suspeito, que segundo o pai é inocente. “No dia do crime, por volta meio dia e meia, um policial ligou para o meu filho, querendo saber a respeito de um carro, pois nós trabalhamos com vendas de carro em Sete Lagoas. Só que o carro que ele perguntou era branco e o nosso é prata. A polícia militar constatou que o carro estava na agência e então só poderia ter sido clonado. Cheguei a fazer um boletim”, reforçou. “Tem sido um tormento. Nem a gravação com a conversa do policial o delegado quis ver. Meu filho teria que ser indiciado para ser ouvido”, destaca o pai do suspeito.

Sobre o posicionamento da família, o delegado diz que a polícia trabalha com dados técnicos. “Temos que separar os fatos. Toda manifestação popular é garantida pela constituição e de acordo com a Lei, não havendo violação de direitos é perfeitamente aceitável e deve ser incentivada. Contudo, a Polícia Civil trabalha de forma técnica, não trabalhamos com paixões e emoções”, ressalta. “Ouvimos o suspeito hoje e ele nega o crime, mas a vítima, pela quarta vez, o reconheceu novamente”, revela.

O delegado diz que há fortes indícios de que os suspeitos estão envolvidos. “Primeiro no reconhecimento das vítimas. Elas foram categóricas em reconhecer o suspeito que está autuado como sendo um dos autores. Apesar da foto ser ruim, pois advém da gravação de um vídeo, as vítimas confirmaram através de novas fotos. Outro indício são as multas do veículo. Uma delas, inclusive, está com notificação realizada na madrugada do dia do crime, no sentido Sete Lagoas x Belo Horizonte. Já sobre a clonagem, não existe nada no inquérito que se refira a isso. A ocorrência que foi registrada pelo proprietário, que é o pai do suspeito, foi registrada após o roubo, ou seja, pode ser uma clonagem, mas pode ser um falso álibi também. Não dá para ter certeza quanto a isso, não foi registado anteriormente, já as multas sim. Estes são indícios fortes que apontam que a prisão do suspeito se deu de forma correta”, explica o delegado.

De acordo com informações repassadas pelo delegado, todos os dois suspeitos têm passagem pela polícia. “O suspeito que está preso tem passagem por tráfico de drogas e segundo informações da região de Sete Lagoas, se trata de um indivíduo perigoso. Já o que está foragido, tem passagem por roubo, furto, receptação, dentre outras”, informa.

O delegado ainda ressaltou a importância do trabalho entre os órgãos de segurança. “É muito importante, até para pacificação, dar uma resposta à sociedade e evitar futuros crimes dessa natureza. Trabalhamos em conjunto com a Polícia Militar, que atuou muito bem desde o início da ocorrência, trabalhamos em conjunto até a conclusão da investigação. Agora cabe ao Ministério Público e ao judiciário dar a palavra final aos fatos processuais técnicos”, conclui.

Relembre o Caso

Uma joalheira na Rua do Ouvidor, em Ouro Preto, foi assaltada no dia 22 de novembro. Os autores agiram durante o dia e teriam rendido primeiramente a filha do proprietário, e em seguida um aprendiz de ourives e sua namorada.

De acordo com as imagens das câmeras de segurança da loja, um dos suspeitos estava com um boné na cabeça e nas mãos usava luvas pretas. Este mesmo saiu do local em posse de três bolsas cheias de jóias. O prejuízo, de acordo com a Polícia Civil, seria de mais de R$ 60 mil. O material roubado ainda não foi recuperado.

Veja mais









QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES? CLIQUE E CADASTRE O SEU EMAIL, PROMETEMOS NÃO ENVIAR SPAM!
ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
   

PARCEIROS