04 DE JUNHO DE 2020

As eleições municipais na palma da mão do eleitor


Desvendando a Política
13 de fevereiro de 2020


No ano que vem haverá eleições municipais e são fortes as evidências que o principal meio de informação que será utilizado pelo eleitor, Brasil afora, será o fornecido pelo conjunto das redes sociais. A cada mês, mais brasileiros se conectam e se comunicam pelas redes sociais, não importa a natureza do assunto conversado ou debatido.

A primeira evidência do protagonismo das redes sociais foram as eleições presidenciais e estaduais de 2018, quando candidaturas que tinham muito tempo disponível no horário eleitoral gratuito em televisão e rádio tiveram um fraco desempenho eleitoral (Geraldo Alckmin na disputa presidencial, as candidaturas de Fernando Pimentel, para governador, e Dilma Roussef, para senadora, na eleição estadual, são exemplos do fiasco eleitoral). Por outro lado, com pouquíssimo tempo disponível na propaganda eleitoral gratuita, o candidato Jair Bolsonaro chegou em primeiro lugar no primeiro turno, o mesmo acontecendo em Minas

Gerais com o candidato Romeu Zema, também com muito pouco tempo de propaganda gratuita. Em ambos os casos as redes sociais foram decisivas para o sucesso eleitoral.

A segunda evidência é fornecida pela pesquisa TIC Domicílios, feita anualmente pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic), e que informa que 70% dos brasileiros usaram regularmente a internet, em 2018. A grande maioria da população na zona urbana está conectada, enquanto na zona rural metade já está. Outro dado importante é que metade da população com menor poder de compra (as classes sócio econômicas “D” e “E”) já estão com acesso à internet, e o principal meio de acesso delas é o celular. A cada mês que passa, aumenta o contingente de brasileiros ligados mais continuamente à internet e aos seus serviços, dos quais as redes sociais são um destaque, além dos serviços on line, como aplicativos para carros e de entrega a domicílio.

A terceira evidência é uma pesquisa recém publicada pelo Instituto de Pesquisa DataSenado, que foi feita entre 17 e 31 de outubro deste ano, com 2.400 respondentes (em todas as unidades da federação) e com acesso à internet. Essa pesquisa teve como objetivo investigar o uso da internet e das redes sociais. Assim, 98% dos respondentes acessam a internet através do celular e 79% utilizam “sempre” o WhatsApp como meio de informação. Com esse resultado, o WhatsApp é o principal meio de informação de acordo com a pesquisa. Em segundo veio a televisão, com 50% deles sempre a usando, empatada com o Youtube, com 49%. Facebook teve 44%. Jornais impressos tiveram 8%.

Para 83% dos respondentes, o conteúdo das redes sociais influencia “muito” a opinião das pessoas. E 45% reconheceram que na hora de decidir o voto levaram em consideração as informações divulgadas nas redes sociais. E aqui o Facebook e o WhatsApp são os mais influentes.

A pesquisa do DataSenado comprova a impressão que muitos brasileiros têm no dia a dia, a de que estamos cada vez mais ligados às redes sociais, seja para solicitar serviços, seja para compartilhar informações e opiniões. O crescimento do número de brasileiros interligados nas redes sociais é uma realidade inclusive política e está forçando os atores políticos a reverem suas estratégias de comunicação política. Os que fizeram no ano passado estão satisfeitos com os resultados obtidos, enquanto os que persistiram em tradicionais e superados métodos de comunicação política estão insatisfeitos com os resultados e crescentemente preocupados com a mudança no comportamento dos brasileiros no modo como estão se informando e compartilhando conhecimentos e valores.

Cabe ainda destacar que poucos municípios brasileiros têm um noticiário local de informação política, principalmente na televisão. Se nos poucos que têm é cada vez maior o contingente de moradores que buscam as redes sociais para se informarem sobre o município, o que dizer da grande maioria dos municípios que não têm essa programação? Logo, não é difícil visualizar o grande impacto que as redes sociais terão na comunicação e na mobilização política nas eleições municipais de 2020. Os atores políticos que estiverem atentos a ponto de incluírem na sua estratégia eleitoral o uso das redes sociais estarão em grande vantagem sobre aqueles que insistirem nas tradicionais formas de comunicação e mobilização política. Afinal, além deles terem um maior número de eleitores conectados, a sua campanha eleitoral será comparativamente mais barata, gerando um maior poder de competição na reta final da eleição.

As eleições estão na palma da mão do eleitor.

*Cientista Político/Diretor de GIGA Instituto de Pesquisa
Professor de Relações Internacionais do IBMEC-MG
Professor de Administração Pública da UFOP

Veja mais


Desvendando a Política
29 de mai de 2020
A vantagem de quem disputa a reeleição...

Desvendando a Política
13 de mai de 2020
A agenda política nas eleições...












ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
       

PARCEIROS