26 DE MAIO DE 2020

Menina de 6 anos é diagnosticada com doença rara em Ouro Preto e precisa de ajuda


Ouro Preto
05 de março de 2020


A campanha de doação online tem como objetivo arrecadar fundos para o tratamento da criança

Por Glauciene Oliveira

Evellyn Abrão, de apenas 6 de anos, moradora do Bairro Morro Santana, em Ouro Preto, foi diagnosticada em dezembro de 2019 com uma doença rara, denominada Síndrome de Guillain-Barré (SGB).

O diagnóstico aconteceu através de um exame na medula óssea, realizado na Unidade de Pronto Atendimento de Mariana (UPA) após a menina passar mal e ser levada pela segunda vez até a unidade. Após o diagnóstico a criança foi transferida e segue internada no Hospital Infantil João Paulo II, em Belo Horizonte.

Evellyn mora com sua mãe, Karina Abrão, que está desempregada, e mais dois irmãos, de 12 e 14 anos. Karina afirma que sua filha é uma criança educada, extrovertida. “Ela adora brincar com seus amigos e ama a vida”, destaca emocionada.

Sobre a doença

A doença é autoimune inflamatória dos nervos e da medula espinhal, caracterizada por quadro de fraqueza e paralisia progressiva de algumas partes do corpo, podendo levar à insuficiência respiratória e batimentos cardíacos irregulares.

A mãe da menina relata que o quadro de saúde de sua filha se desenvolveu muito rápido. “A Evellyn sempre foi uma criança saudável e nunca apresentou problemas sérios de saúde. Ela estava de férias na casa dos seus avós, quando em um dia normal ela começou a vomitar e sentir muita falta de ar. No dia seguinte o quadro se agravou, pois ela não sentia suas pernas. Quando ela chegou no hospital em BH já havia perdido todos os movimentos do corpo, inclusive da face, movimentando apenas os olhos, em seguida foi encaminhada para o CTI. Ao decorrer dos dias sofreu paradas cardíacas e convulsões”, relatou.

Apesar da condição de saúde complicada, Karina afirma que sua filha permaneceu firme durante todo o processo. Após dois meses de tratamento a menina já apresentou melhoras nos movimentos da face e do tronco e recuperou a fala, porém ainda respira com a ajuda de aparelhos, no método traqueostomia. “Minha filha é muito forte e guerreira. Ela não desistiu de si mesma e vem lutando cada dia para vencer essa batalha”, enfatizou esperançosa.

Como ajudar

Segundo as orientações médicas, Evellyn poderá retornar para casa em breve, porém ela continuará necessitando de cuidados especiais, como fisioterapia intensiva, diversos medicamentos, fonoaudiólogo e uma alimentação especial. Todos os procedimentos necessários terão um custo elevado para a família de Evellyn, por isso a mãe iniciou uma campanha de doação online, os interessados em contribuir devem acessar: https://bit.ly/2TphzMM. “Como estou desempregada e com poucos recursos, peço ajuda a todos para que eu possa dar continuidade ao tratamento da minha filha e devolvê-la a felicidade de viver intensamente”, disse.

Veja mais













ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
       

PARCEIROS