09 DE ABRIL DE 2020

Memória fotográfica de Itabirito


A cidade e Eu
24 de março de 2020


Por João de Carvalho

IVACY SIMÕES nasceu em Passagem de Mariana/MG, mas foi registrado em Ouro Preto; veio para Itabirito com 12 anos, tendo recebido o título de Cidadão Honorário em 1990. Casado, pai de três filhas e avô de um casal de netos: Alicia e João.

Publicou cinco livros: Deslizes, Itabirito e Seus Causos (I, II), Eternamente Itabirito (I, II). Eternamente Itabirito é um livro que procura mostrar a história deste Município através de fotografias. Um dos objetivos é levar o leitor ao passado de muita saudade. Há dezenas de páginas com o sugestivo título Nossa Gente.

Não se trata de biografia, mas sim de homenagem àqueles que marcaram a vida desta cidade. Não há distinção de formas de participação  para mais ou para menos. Apenas dá realce em alguns destaques especiais, sem distinção de méritos. Lamenta que não pôde, obviamente, citar todos quantos queria, mas restringiu-se ao acervo fotográfico de seu conhecimento e arquivo. Certamente outros volumes virão, preenchendo quaisquer lacunas.

SEU AUTOR goza de toda credibilidade necessária para expor suas ideias e conhecimento da alma itabiritense. Na política atuou com brilhantismo, durante sete mandatos quase consecutivos junto ao Poder Legislativo. Isto aconteceu durante trinta anos de disputa eleitoral, sempre distinguido, apoiado e eleito pela população da terra dos Aredes. Seu ponto de partida foi 1971. Por várias vezes, foi presidente da Câmara Municipal, assim como membro integrante de múltiplas Comissões de Trabalho parlamentar. Agiu com sucesso, junto ao Executivo Municipal, como Secretário de Comunicação Social e Secretário de Cultura e Patrimônio. Sua atividade profissional foi relevante como professor em Escolas Públicas e Particulares, chegando a ser diretor da Escola Estadual Engenheiro Queiróz Júnior, onde se aposentou.

Tive a honra de gozar de sua permanente amizade, assim como desfrutar do privilégio de estar ao seu lado como professor, advogado, colega de magistério e seu subordinado como Diretor, além de outras notáveis e inesquecíveis situações e atuações profissionais, sobretudo nas atividades da Câmara e secretarias da Prefeitura de Itabirito. Esta cumplicidade de trabalhos educacionais, jornalísticos e atividades municipais fortaleceu minha admiração de seus múltiplos valores profissionais e pessoais.

NOS TRÊS PRIMEIROS livros o escritor revela-se por uma verve, uma linguagem eminentemente alegre, expansiva, característica de sua personalidade comunicativa, sempre provocando a alegria e o riso do leitor. É um mestre nesta busca que envolve a todos, sem distinção.

Nos dois últimos livros, o escritor cede lugar à imagem plástica fotográfica da cidade e de sua gente, desde sua criação até hoje. São mais de trezentas páginas densas de fotografias bem descritas, com estas citações: “Cidade sem memória apaga sua história”(Ismael S. Bastos) e “A cada página uma surpresa, uma grande recordação, uma saudade e até uma lágrima”.

- “O passado não é aquilo que passa. É o que fica do que passou” (Alceu Amoroso Lima).

Veja mais


A cidade e Eu
07 de abr de 2020
Coronavírus, a peste perigosa...

A cidade e Eu
31 de mar de 2020
Velhice, a plenitude da idade...












ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
       

PARCEIROS