02 DE JULHO DE 2020

Moradores de distritos de Mariana estão a cerca de 2 meses sem transporte coletivo


Mariana
26 de maio de 2020

Assunto foi pauta na reunião da Câmara de Vereadores, realizada nesta segunda-feira (25)

Por Glauciene Oliveira

Os moradores de diversos distritos e subdistritos de Mariana estão a cerca de dois meses sem transporte coletivo. As linhas de ônibus, que são de responsabilidade da empresa Transcotta, foram suspensas devido à pandemia do novo coronavírus. O assunto foi pauta na última reunião da Câmara de Vereadores de Mariana, realizada nesta segunda-feira (25).

Atualmente, estão desativadas as linhas: Mariana x Machadinho, Mariana x Piranga, Mariana x Santa Rita Durão e Mariana x Águas Claras. Estes distritos e outras localidades adjacentes, por exemplo, Mainart e Cristais, são, unicamente, atendidos por estes ônibus. Outras linhas distritais e intermunicipais sofreram apenas alteração e redução nos horários.

De acordo a autora do requerimento, vereadora Daniely Alves (PR) com a suspensão das linhas os moradores estão tendo que recorrer à transportes particulares e desembolsar um alto valor para se deslocarem até a sede da cidade. “A gente tem que devolver dignidade para as pessoas que moram na zona rural. Lá tem pessoas idosas que dependem dos benefícios sociais e precisam vir a nossa cidade receber, mensalmente, e fazer suas compras. Muitas vezes vem uma mãe ou pai de família vem receber um bolsa família e tem que ficar pedindo carona ou se submeter a pagar de R$80 a R$100 em um carro particular”, ressaltou.

O vereador Juliano Duarte (Cidadania) destacou que as comunidades desassistidas pelo transporte público não possuem serviços básicos como agências bancárias, farmácias e grandes supermercados, por isso é indispensável o trajeto até o centro de Mariana. “É preocupante essa medida que a Transcotta toma de forma unilateral. Nós entendemos que pela pandemia o transporte pode sofrer alterações, mas pelo menos no início do mês, que é quando essas pessoas recebem seu salário, deveria ser disponibilizado o transporte.”, disse.

Já o vereador Marcelo Macedo (PSDB) ressaltou a importância da participação do poder público na fiscalização e coordenação do transporte coletivo, de acordo com o que é estabelecido no Artigo nº159 da Lei Orgânica Municipal. Marcelo sugeriu ainda, que as vans escolares que estão paradas, por conta dos efeitos da pandemia, possam assumir os trajetos distritais suspensos. “Mas clandestino não pode, né!? Então quem vai assumir essa responsabilidade e resolver o problema dessas comunidades?”, indagou.

Respostas

Segundo o Gerente de Relações Institucionais da Transcotta, Guilherme Schulz, as linhas mencionada foram paralisadas devido à baixa demanda existente, o que não permite a manutenção de atendimentos, mas que será feita uma nova avaliação da situação. “A decisão de paralisação das mesmas foi tomada com base nos números apresentados, após avaliação e aprovação do Demutran e Prefeitura de Mariana. Será realizada uma nova avaliação conjunta do cenário nos próximos dias, para retomada gradual dos atendimentos”, explicou.

De acordo com o coordenador do Demutran, Eliabe de Freitas, na próxima quinta-feira (28) será realizada uma reunião para avaliar uma possível retorno das linhas paralisadas. “Estamos trabalhando com avaliações quinzenais com base em relatórios diários. Algumas linhas apresentaram um decréscimo de mais 80% no número de passageiros, mas estamos em constantes reuniões para tomarmos as decisões necessárias. Com a possível retomada gradativa do comércio teremos que aumentar a oferta do transporte, de acordo com o aumento da demanda, isso não só na sede, mas também nos distritos”, salientou.

Veja mais













ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
       

PARCEIROS