02 DE JULHO DE 2020

Guarda Municipal e Policiais Militares se desentendem durante ocorrência em Mariana


Mariana
23 de junho de 2020

Glauciene Oliveira

No dia 11 de junho, a Polícia Militar foi acionada na Rua Pitangui, bairro Cabanas, em Mariana, para averiguar denúncia envolvendo uma briga entre vizinhos.  Dentre os envolvidos no caso, havia um Guarda Municipal, irmão da mulher que havia acionado a polícia. No desenrolar do atendimento, os envolvidos entraram em conflito, resultando em lesão corporal dos mesmos.

O comandante da Polícia Militar de Mariana, Tenente Thiago Mota, explica que os militares chegaram até o local da ocorrência com a informação que durante a briga uma pessoa estava portando uma faca. “Não sabíamos quem era, então todos foram colocados em posição de busca, foi aí que se originou o descontentamento do irmão do Guarda Municipal”, explicou.

O tenente afirmou que o Guarda Municipal teria desacatado os militares. “Depois que a polícia chegou no local, os irmãos do agente o acionaram, aí ele deslocou até o local e tentou intervir na situação dizendo que era Guarda Municipal. Com isso, os militares o afastaram e neste momento ele desacatou o policial, que em seguida deu voz de prisão. No momento de algemá-lo e conduzi-lo, a família tomou a conduta de tentar tirá-lo da guarnição, e aí foi necessário usar a força, tanto para algemá-lo, quanto para debelar a ação dos familiares”, salientou.

De acordo com o Secretário Municipal de Defesa Social, Braz Luiz de Azevedo, no desenrolar do atendimento, os ânimos se exaltaram e foi empregado o uso da força física, resultando na lesão corporal de três envolvidos. “Considerando o envolvimento de um Guarda Civil Municipal a Polícia Militar acionou o Comando da Guarda para fazer a sua condução, sendo todos os envolvidos encaminhados para a Delegacia de Polícia de Ouro Preto e liberados após assinatura do Termo Circunstanciado de Ocorrência – TCO”, acrescentou.

Braz explica que diferente do que foi divulgado pelas Redes Sociais, a ocorrência não se trata de uma desavença entre as Corporações. “O Guarda Civil Municipal estava de folga e sem uniforme, tendo intervido no fato, após ter sido chamado pela sua irmã, solicitante da ocorrência. Trata-se de fato isolado que será devidamente apurado por ambas as instituições, o qual não deve interferir nas atividades profissionais a serviço de nossos munícipes”, explicou.

Resultados

A Secretaria Municipal de Defesa Social encaminhou o fato para a Corregedoria da Guarda Civil Municipal determinando a instauração de uma Sindicância Administrativa para esclarecimento dos fatos e providências subsequentes.

Já o Tenente Thiago afirma que até o momento nenhum dos cidadãos envolvidos no caso procurou o comando da instituição para esclarecer ou denunciar o ocorrido, por isso ele ainda não recebeu ou abriu um inquérito de investigação. “Somos muito transparentes em relação à nossa conduta, se alguém se sentir prejudicado deve procurar o comando da instituição e reclamar da conduta do policial. A princípio devemos sim abrir uma apuração, até pela proporção que os fatos tomaram, para assim verificarmos se teve algum tipo de excesso por parte dos policiais, mas acredito que pelo grau de lesões dos policiais foi necessário sim o uso da força”, destacou.

Veja mais













ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
       

PARCEIROS