06 DE JULHO DE 2020

Atuação da Arseop é tema da Tribuna Livre na Câmara de Ouro Preto


Ouro Preto
29 de junho de 2020
Crédito: Hanster Silva

A Reunião Ordinária da última quinta-feira (25) da Câmara Municipal, realizada por videoconferência, contou com a participação de Júlio Corrêa, presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos do município de Ouro Preto (Arseop), que fez uso da Tribuna Livre. Também participaram da Tribuna o diretor técnico, Carlos Henrique Araújo, e o diretor jurídico da Agência, Ivo Antônio Alves Lima, também participaram da Reunião.

O transporte público, o abastecimento de água e esgotamento sanitário, a iluminação pública e os resíduos sólidos são as áreas de atuação da agência. O vereador Geraldo Mendes (PT) destacou a importância da participação da equipe da Arseop na Tribuna. “Foi o primeiro contato institucional da direção da agência reguladora com a Câmara. Os vereadores tinham muitas dúvidas, muitas questões a serem tratadas em relação a atuação da agência. O presidente quais são as atribuições, em quais setores e como vão atuar. É claro que não esgotou o tema. O que foi bom é que praticamente tudo que foi perguntado ao Júlio Corrêa foi respondido’, disse. Ainda de acordo com o vereador, a Câmara cumpre o papel de mostrar a finalidade das instituições, das autarquias, das concessionarias. “Eu acho muito válido, uma vez que aproxima mais a Câmara dessas instituições e vice-versa. Até porque todos os questionamentos feitos pelos vereadores são questionamentos da população’, finalizou.

A vereadora Regina Braga (Republicanos) também avaliou a Tribuna Livre. “Achei interessante. Eles nos tiraram algumas dúvidas. Estamos tendo muito problema com a Saneouro e com o Consórcio Rota Real. Houve agora também da questão da eletrificação rural e urbana, tem a questão do lixo. Nós pudemos perceber é que, segundo eles, está tudo no começo, e ainda veio a pandemia. Mas a agência vai cumprir o papel dela que é de regulamentar os serviços, fiscalizar esses serviços. Temos que pensar o seguinte: o serviço tem que funcionar adequadamente, já que ele não é oferecido de graça. O que eu disse para eles é que a gente precisa de agilidade, não podemos ficar esperando. A gente quer que as coisas aconteçam da forma que tem que acontecer e o mais rápido possível. Vamos ficar atentos, acompanhando e cobrando”, destacou. 

Veja mais













ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
       

PARCEIROS