08 DE AGOSTO DE 2020

Empresa Guardservice rebate denúncias sobre diferença salarial entre vigias de Itabirito


Itabirito
31 de julho de 2020

No dia 16 de julho, a equipe de reportagem do Jornal O Liberal foi procurada por vários servidores efetivos da Prefeitura de Itabirito que trabalham como vigias, em reunião que também contou com a presença de alguns vereadores da cidade. Em suma, os funcionários alegaram que estavam sendo desvalorizados pela prefeitura e que havia uma grande desigualdade salarial entre a classe. A indignação dos vigias efetivos foi justificada pela contratação de uma empresa terceirizada para prestar o serviço. Segundo os servidores, tal empresa estaria remunerando os funcionários terceirizados bem acima do que a prefeitura remunera os próprios efetivos.

Como comprovação da denúncia, apresentaram o Contrato Nº129/2020, por meio do qual o poder executivo contratou, em março de 2020, a Guardservice Assessoria Empresarial Eireli, empresa de Belo Horizonte, com 50 postos de trabalho. Os denunciantes apontaram no contrato salários unitários no valor de R.$ 4.550,00 para os vigias terceirizados. Em contrapartida, os vigias concursados receberiam pouco mais de um salário mínimo (R$1,086) e cartão alimentação (R$500,00).

Por sua vez, em nota, a prefeitura de Itabirito informou que a terceirização é temporária e irá atender a demanda única e exclusiva do período de pandemia, em razão do afastamento temporário de alguns servidores efetivos. “No dia 17 de março o poder executivo declarou Estado de Emergência e considerando as normas do Ministério da Saúde os servidores que se enquadram nos grupos de riscos foram afastados de suas atividades por precaução. Diante da situação constatou-se um quadro de afastamento de aproximadamente 50 servidores vigias da Prefeitura, sendo indispensável que a guarda, conservação e preservação dos bens e equipamentos públicos, fossem preservadas”.

Guardservice rebate denúncia

Em contrapartida, após a publicação da matéria, a empresa Guardservice também procurou o Jornal O Liberal para rebater a denúncia.

Segundo o administrador da empresa, Carlos Magno Abranches, o valor de R$ 4.550,00 presente no contrato é o total por vigia, porém o salário de cada profissional é, na verdade, de R$ 1.520,38. A empresa por sua vez teria um lucro de 3% por vigia e o restante do montante seria destinado ao pagamento de benefícios estabelecidos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) impostos, tributos e demais encargos da profissão. “Tudo é apresentado claramente em uma planilha de custos que está disponível de forma pública. Seguimos as leis da CLT, se está na CLT nós vamos fazer. Um concursado segue as leis do poder executivo, nós seguimos a CLT”, explicou.

Carlos esclareceu que a matriz da empresa está situada em Belo Horizonte, mas possui uma filial em Itabirito. “Toda a mão de obra é de Itabirito, gerando 50 empregos diretamente, e indiretamente mais de 70 postos de trabalho”, destacou.

O administrador também ressaltou que a Guard Service presta serviço para a Prefeitura de Itabirito há mais de 20 anos. “Desta vez, e de todas as outras, todo processo foi feito de forma lícita e transparente”, acrescentou.

Veja mais













ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
       

PARCEIROS