18 DE MARÇO DE 2019

A essência cultural de Minas


Carta aos Tempos
11 de janeiro de 2019


                                                                                                                             *Mauro Werkema

“As Minas são muitas”. Nesta expressão de Guimarães Rosa está contida a amplitude da diversidade cultural mineira que se forma em três séculos de história atuante. E que nos legou 853 municípios e perto de cinco mil povoados, com variadas e diferentes heranças históricas, sociológicas e culturais e peculiares modos de vida, mentalidades, organizações urbanas e típicas feições sociais e econômicas. Estado mediterrâneo e central no mapa brasileiro, com seis fronteiras, com variedade antropológica e étnica, geográfica e geológica, onde encontramos a sua rica e singular herança cultural.  É na plena compreensão deste “mosaico mineiro” que situa-se o patrimônio cultural de Minas, que é seu diferencial e com que se insere e influi na história e na formação da nacionalidade brasileira.   E que demonstra a indesviável necessidade de que seja preservada e estimulada por uma visão prioritária de políticas governamentais lideradas por uma Secretaria de Cultura.

 Pioneira na ocupação do território interior do Brasil-Colônia, na corrida pelo ouro e pedras preciosas, Minas gera extensa rede urbana e produzirá, no Século XVIII, sociedade irrequieta e libertária, com lutas identitárias e aspirações autonomistas, sempre presentes na Colônia, no Império e na República. A dinâmica da atividade mineratória gera os primeiros núcleos urbanos iniciais da Capitania, a “Minas geratriz” de Rosa, completando-se ocupação do território com as atividades agropastoris, representando as matrizes essenciais da formação mineira.  De minerador da agropecuarista, o mineiro mescla sua formação cultural e com estes traços conforma e caracteriza sua personalidade regional, reconhecidamente distinta no contexto nacional.

Surpreende a formação iluminista mineira no Século XVIII, que levou à Inconfidência Mineira de 1789, mesmo ano em que, em Paris, caia a Bastilha e iniciava-se a Revolução Francesa, com as mesmas motivações ideológicas. O século nos lega as cidades históricas e um surto artístico-cultural excepcional, que produz acervo hoje está inscrito na lista do Patrimônio Cultural da Humanidade da UNESCO. Nas artes plásticas e visuais, na arquitetura, escultura, literatura, música e pintura, Minas gerou patrimônio raro e exemplar, com que se distingue na História e na Cultura brasileiras. E que, por sua excepcionalidade, merece atenção e tratamento diferenciados até para que gerem efetivas resultantes econômicas, de modo especial para os vários segmentos do turismo contemporâneo.

Esta é a essência de Minas, decorrente da sua singular formação histórica e sociológica, compondo um patrimônio cultural com que se diferencia no Brasil e no mundo.  O apoio necessário à plena exploração econômica do potencial cultural de Minas é um condicionante da sua modernidade. E que deve integrar a recuperação econômica do Estado e conformar, como merece, o seu futuro.

*Jornalista e escritor (mwerkema@uol.com.br)


Veja mais


Carta aos Tempos
15 de mar de 2019
Carta de Reconhecimento...

Carta aos Tempos
15 de mar de 2019
Drummond, profetas e a tragédia de Minas...














QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES? CLIQUE E CADASTRE O SEU EMAIL, PROMETEMOS NÃO ENVIAR SPAM!
ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
   

PARCEIROS