18 DE FEVEREIRO DE 2019

Fiscais vistoriam barragens da Vale em mina de Ouro Preto


Ouro Preto
08 de fevereiro de 2019


Fiscais da Agência Nacional de Mineração (ANM) vistoriaram na terça-feira (5) três barragens da Vale em Ouro Preto. As barragens Forquilha I, II e III foram os alvos de averiguação por parte dos engenheiros. No plano de emergência, apresentado pela empresa, a Vale afirma que não há instalações ocupadas por trabalhadores no caminho da lama em um eventual rompimento das barragens. Em entrevista à Rede Globo, os agentes da ANM afirmaram que, pelo documento apresentado, os rejeitos chegariam em Itabirito em aproximadamente três horas, tempo suficiente, segundo os agentes, para alertar e retirar a população do município.

Desde a semana passada, a Justiça de Minas Gerais proibiu a Vale de lançar rejeitos ou realizar qualquer atividade nas barragens de Forquilha 1, 2 e 3 e em outras cinco estruturas em Minas Gerais. A Vale informou que as barragens de Forquilha 1, 2 e 3 já estavam inoperantes e fazem parte do plano de desativação e retirada dos rejeitos da barragem. A mineradora também garantiu que as barragens estão devidamente licenciadas e possuem atestados de estabilidade vigentes, e que vai recorrer contra a decisão da Justiça. A barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, também possuía o mesmo atestado.

Preocupação

A fiscalização das barragens e a divulgação do plano de emergência de barragens foram temas debatidos na reunião dos vereadores de Ouro Preto nesta terça (5). Os vereadores solicitam a presença de representantes das barragens da região, para explicar a situação e onde elas estão localizadas.

O vereador Vander Leitoa falou das iniciativas da comunidade de Antônio Pereira para ter informações sobre a barragem do Doutor. “Nós estamos muito preocupados. Está um terror na comunidade, tem pessoas que não estão dormindo, pois só em Antônio Pereira nós temos três barragens: Timbopeba, do Doutor e a de água. Uma comissão de moradores se reuniu com a Vale hoje (5) e pedimos que ela mude a forma de tratamento do rejeito, que dê mais segurança para as pessoas que moram próximas a área de mineração”, explica o vereador, que informou ainda que a mineradora avalia o pedido.

Outra solicitação de informações sobre barragem é do vereador Zé do Binga. O edil apresentou um requerimento pedindo a presença da Hindalco, responsável pela barragem de Marzagão, no bairro Saramenha. “Nós queremos que a empresa se responsabilize e dê uma solução, pois falar, todos estão falando. Queremos saber sobre a segurança”, destaca Zé do Binga.

No distrito de Santa Rita há uma barragem de água, da Companhia Energética Integrada. O vereador Merisson Irineu Gomes, o Mercinho, falou da preocupação dos moradores do distrito. “O mal nosso, brasileiro, é deixar as coisas acontecerem para depois cobrar, então queremos informações. A barragem de Santa Rita tem mais de 50 anos e não tenho conhecimento de que foi realizado nenhum reparo. A população está preocupada e nós somos cobrados nas ruas e estamos aqui em busca de informações para tranquilizar o morador”, pontua Mercinho.

Os requerimentos e representação foram aprovados e encaminhados para as empresas.

Álbum de Fotos


Veja mais















QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES? CLIQUE E CADASTRE O SEU EMAIL, PROMETEMOS NÃO ENVIAR SPAM!
ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
   

PARCEIROS