24 DE ABRIL DE 2019

A lenda da porcelana quebrada


Amenidades
12 de abril de 2019


Reza a lenda que um príncipe chinês possuía uma coleção de pratos de porcelana, de rara e antiga procedência, constituída por doze pratos assinalados por grande beleza. A coleção de pratos era motivo de grande orgulho do príncipe, tanto pelo seu valor financeiro, quanto pela sua beleza.

Certo dia, enquanto o servo do príncipe polia a coleção, um dos pratos escorregou de suas mãos, caiu no chão e quebrou. Ao tomar conhecimento do fato, o príncipe irritou-se e, possuído pela fúria, condenou à morte o dedicado servidor. De nada adiantaram as súplicas da família do pobre empregado e seus argumentos do quanto o mesmo sempre fora leal ao príncipe.

A notícia tomou conta do Império, e, às vésperas da execução do desafortunado servidor, apresentou-se ao príncipe um sábio bastante idoso. O sábio prometeu que devolveria ordem à coleção, se o servo fosse perdoado.

- Eu prometo ao príncipe que, se perdoar a vida do seu servo, farei com que a sua coleção fique novamente igual - disse ele, ante a surpresa de todos.

Mesmo sem acreditar, o príncipe emocionou-se ante a possibilidade de recuperar a coleção, que para ele era tão importante. Reuniu sua corte e contou a história. Pediu a opinião de todos e foi aconselhado a aceitar a proposta do ancião.

O velho sábio solicitou que fossem colocados todos os pratos restantes sobre uma toalha de linho, bordada cuidadosamente, e que os pedaços da preciosa porcelana quebrada fossem espalhados em volta do móvel.

Atendido na sua solicitação, o sábio acercou-se da mesa e, num gesto inesperado, puxou a toalha com as porcelanas preciosas, atirando-as bruscamente sobre o piso de mármore e arrebentando-as todas.

Todos ficaram boquiabertos. O príncipe ficou lívido e não sabia o que dizer. Ante o estupor que tomou conta do soberano e de sua corte, muito sereno, o ancião falou:

- Aí estão, senhor, todos iguais, conforme prometi. Agora podeis mandar matar-me. Desde que essas porcelanas valem mais do que vidas, e considerando-se que sou idoso e já vivi além do que deveria, sacrifico-me em benefício dos que irão morrer no futuro, quando cada uma dessas peças for quebrada. Assim, pretendo salvar doze vidas, já que elas, diante desses objetos, nada valem.

Passado o choque, o príncipe, comovido, retirou a sentença e mandou soltar o servo, compreendendo que nada é mais precioso do que a vida humana.

Veja mais


Amenidades
18 de abr de 2019
Será que não aprendemos nada?...

Amenidades
05 de abr de 2019
Eu ou o Brasil...



















QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES? CLIQUE E CADASTRE O SEU EMAIL, PROMETEMOS NÃO ENVIAR SPAM!
ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
   

PARCEIROS