21 DE OUTUBRO DE 2019

Incômodo para condutores, mas auxilio para pedestres


O Berro do Bode Zé
24 de maio de 2019


Entre tupiniquins há quem pense que quebra-molas é sinal de progresso, devido ao volume de trânsito no local, assim como há até os que o consideram símbolo de status. Chegam ao ponto de reivindicar um junto às suas residências. O progresso até pode estar simbolizado na quantidade de veículos em circulação, mas nas cabeças das pessoas há ignorância porque, se o povo fosse mais educado não haveria necessidade do quebra-molas, um mal necessário justamente porque o trânsito de veículo é selvagem, inconsequente e na contramão do dito progresso material. Contudo, se é mal necessário, uma vez que uma minoria de condutores não está preparada para circular em vias livres de quebra-molas, que o pedestre se sirva bem dele para sua segurança, compensando assim, o desconforto proporcionado aos bons condutores. Mas aí, vem novamente a questão da educação a impedir que aquela anomalia seja bem aproveitada, pois o pedestre não o usa como deveria e há quem diga que é politicamente incorreto o uso do quebra-molas pelo pedestre, pois para este deveria haver a faixa de pedestres. Deveria, mas não há, ó caras-pálidas! Se não há faixa, que o que o quebra-molas sirva como tal! O que não pode e é politicamente incorreto é a travessia da rodovia, a quatro ou cinco metros de quebra-molas, obrigando motoristas a parar em ponto inadequado. Clama-se por segurança para o pedestre, mas este é o primeiro a se comportar de forma contrária às normas de segurança. Quem quiser comprovar, veja como menos de dez por cento acessa a estação rodoviária local, de forma segura, usando a faixa de segurança. A grande maioria atravessa na frente de ônibus, obrigando o condutor a parar em local indevido. Um pouco mais adiante, junto à ponte do Vai-e-Vem, passageiros que descem naquela parada de ônibus, chegando de Ouro Preto, desembarcam e atravessam em direção ao supermercado, alguns quase sem observar o tráfego. Por sorte, ainda não aconteceu, ali, um atropelamento! Entretanto, basta ao usuário voltar poucos metros e usar o quebra-molas, pra fazer uma travessia segura, tranquila, sem perturbar os motoristas, porque ali eles têm mesmo que fazer uma paradinha, se não quiser quebrar o veículo. Será que é difícil aprender isso, gente?

Veja mais


O Berro do Bode Zé
18 de out de 2019
O diabo na casa de Cristo em Ouro Preto...

O Berro do Bode Zé
11 de out de 2019
Perturbação do telemarketing apenas para quem go...















QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES? CLIQUE E CADASTRE O SEU EMAIL, PROMETEMOS NÃO ENVIAR SPAM!
ITABIRITO
OURO PRETO
MARIANA
BRASIL
MUNDO
ARTIGOS
GALERIA
EDIÇÕES
SOBRE NÓS

 CONTATO
   

PARCEIROS